O financiamento do desenvolvimento será, finalmente, suficiente para as mulheres e meninas?

Por Françoise Girard, International Women’s Health Coalition

Deixe-me apresentar uma situação. É 2030. Meninas estão na escola, buscando seus objetivos profissionais. Uma educação sexual ampla é parte do currículo escolar e meninas e meninos, têm bom entendimento sobre seus corpos e respeitam-se uns aos outros. Meninas e mulheres podem escolher se querem, quando querem e com quem querem se casar. Elas podem ter acesso a serviços de saúde reprodutiva como contracepção e aborto, não importa onde vivam. Elas vivem livres de violência.

Isso pode soar idealista, mas o mundo pode ser muito próximo desta visão se a Agenda Pós-2015  for consolidada e implementada.

Desde segunda-feira, 13, chefes de Estado, ministros, sociedade civil e líderes empresariais de várias partes do mundo  na III Conferência para Financiamento do Desenvolvimento, em Addis Abeba, Etiópia, para decidir como a nova agenda de desenvolvimento global deverá ser  financiada. Este é um momento crucial: em Setembro os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável ( ODS ) — modelo de desenvolvimento global para os próximos 15 anos, serão adotadas. Os ODS são as novas regras do jogo, e as discussões do Financiamento para o Desenvolvimento irão organizar este campo.

Os ODS representam um marco importante para mulheres e meninas mas, sem recursos, eles significarão pouco. Sabemos como a ausência de liderança e de financiamento podem impedir esse progresso. Considerando os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio como referência, apesar dos progressos mundiais, no seu relatório final emitido semana passada, o secretário- geral da ONU, Ban Ki –moon destacou que, infelizmente os objetivos e metas mais negligenciadas foram aqueles voltados às mulheres e meninas. Não podemos deixar que isso aconteça novamente.

Para viabilizar os ODS , a Conferência de Addis tem resolver questões econômicas críticas e barreiras financeiras ao desenvolvimento, mas o atual documento em debate  está aquém do esperado, dando, por exemplo, papel preferencial ao setor privado na condução do desenvolvimento, sem garantir que,  além dos lucros, haja respeito a regras que proporcionam bem-estar para as pessoas e para o planeta. O texto promove políticas comerciais que estimulam a privatização de serviços públicos essenciais, como saúde e água, restringindo assim o acesso destes bens para mulheres e pobres. Ele propõe também impor tributos a trabalhadores informais, cuja maioria são mulheres, sem  garantir que as corporações transacionais paguem sua parcela justa. E deixa-se de reconhecer e abordar o impacto prejudicial que as políticas do FMI e do Banco Mundial tiveram nos países e suas inabilidades em satisfazer as  necessidades básicas dos povos. Os governos fariam bem em repensar estratégias que não funcionaram no passado e que, certamente, não funcionarão no futuro.

Além disso, em vez de dedicar recursos específicos para a igualdade de gênero através do “orçamento sensível a gênero “, o documento em discussão ignora que as políticas econômicas nacionais e globais impactam  de forma diferente homens e mulheres. No entanto, sabemos que as mulheres são duas vezes mais propensas que os homens a serem envolvidas  em trabalho não remunerado, se beneficiam menos das políticas de proteção social, pagam uma proporção descomunal dos seus rendimentos em impostos, e sofrem desproporcionalmente com crises  financeiras e econômicas e outras.

Os governos precisam considerar estes dados e corrigir as desigualdades que continuam a afetar as mulheres Porque Investir nas mulheres e meninas, afinal, é essencial  para resolver a pobreza global. Os ODS oferecem  uma oportunidade histórica para transformar a vida de  mulheres e meninas. Podemos alcançar o mundo que queremos em 2030, mas isso exigirá liderança real, um verdadeiro comprometimento, além de financiamento adequado. Esperamos e demandamos  que os nossos governos encarem este desafio em Adis Abeba.

um comentário

Deixe uma resposta para Pedro Pereira Leite Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s