Mudar o jogo: Agenda 2030 para Vencer a Covid-19

A pandemia da Covid-19 precisa de um grande time de aliados/as para ser derrotada. Com a campanha Mudar o Jogo, que tem como mote Agenda 2030 para vencer a Covid-19, é hora de arregaçar as mangas para juntar forças e vencer essa partida. A iniciativa é do Grupo de Trabalho da Sociedade Civil para a Agenda 2030 (GT Agenda 2030), com apoio da Rede ODS Brasil e da Frente Parlamentar Mista de Apoio aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) e financiamento da União Europeia.

Artistas, intelectuais, cientistas, influenciadores/as e demais formadores/as de opinião vão poder ajudar a formar uma grande corrente do bem na internet. Eles e elas terão papel fundamental na propagação da campanha, atraindo a atenção de milhares de pessoas para que compartilhem essas ideias nas redes sociais.

O objetivo é que cada influenciador/a possa, através dos seus canais nas redes sociais, estimular uma grande corrente do bem e ampliar o conhecimento da população sobre o tema, além de fomentar, junto às gestões municipais, a localização dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), contribuindo para enfrentar a pandemia e suas consequências, assim como corrigir problemas socioeconômicos que facilitam seu agravamento no Brasil.

Como participar

A ideia é que as postagens sejam feitas pelas redes sociais preferidas de cada pessoa: Facebook, Instagram, Twitter, LinkedIn.

Partindo da ideia da “corrente do bem”, o ideal é que cada pessoa marque dois perfis com os quais que tenha afinidade e possam contribuir com o debate na postagem sobre a campanha. Também sugerimos que lancem uma pergunta/convocação na legenda para que seus/suas seguidores/as consigam interagir. A hashtag da campanha é: #Agenda2030ParaVencerACovid.

Você pode:

  • Participar do “ocupa redes sociais Mudar o Jogo” a partir do dia 23/04 com as hashtags #MudarOJogo #Agenda2030paraVencerACovid;
  • Gravar seu vídeo (filmado na horizontal) de até 55 segundos e mandar para o e-mail gtagenda2030@gmail.com dizendo:

– que quer mudar o jogo;

– o que podemos fazer para mudar o jogo;

– ou por que essa campanha é importante.

  • Mandar um recado para seu/sua parlamentar, prefeito/a ou político sobre “Mudar o Jogo”, usando as hashtags #MudarOJogo #Agenda2030paraVencerACovid e marcando o @Gtagenda2030.

Conheça e baixe os materiais da campanha:

Release
Cartelas para mídias sociais (em breve)
Vídeos (em breve)

Compartilhe e divulgue!

Perguntas frequentes

O que é a Agenda 2030?

A Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável é um plano de ação para as pessoas, para o planeta e para a prosperidade que busca fortalecer a paz universal. Coloca a erradicação da pobreza em todas as suas formas e dimensões, incluindo a pobreza extrema e a redução das desigualdades, como desafios globais e requisitos indispensáveis para o desenvolvimento sustentável. O Brasil e outros 192 países que integram a Organização das Nações Unidas (ONU) se comprometeram, por meio da Resolução A/70/2015, a implementar a Agenda 2030 atuando em parceria colaborativa. Saiba mais: https://gtagenda2030.org.br/agenda-pos-2015/.

O que são os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável – ODS?

Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), sucessores dos Objetivos do Milênio (ODM), compõem o quadro de ação da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável e são parte da resolução A/70/2015. Os 17 ODS e suas 169 metas estabelecem o roteiro de como implementar a da Agenda 2030, integrando e articulando os eixos social, ambiental e econômico da Resolução. Saiba mais: https://gtagenda2030.org.br/ods/.

Os países signatários são obrigados a adotar a Agenda 2030?

A Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável não é legalmente vinculante, ou seja, a sua adoção pelos países é voluntária. A Agenda 2030 respeita a soberania nacional e cada país tem autonomia para adequar as metas  em seu território. Entretanto, esta é uma agenda política transformadora e os países que a adotam ganham poder de influência e também passam a ter muito mais oportunidades econômicas, inclusive para acessar financiamentos externos ou para serem melhor avaliados por organismos internacionais.

Porque as organizações e as pessoas devem se importar com a Agenda 2030 e os ODS?

Agenda 2030 é um plano para governos, sociedade, empresas, academia e também para você. Focar em alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável torna o mundo muito melhor para as gerações atuais e futuras, em todas as dimensões: social, econômica e ambiental. Os países que a adotam mostram que estão comprometidos em erradicar a pobreza extrema, combater as desigualdades (sociais, econômicas) e as injustiças, e que se esforçam para cuidar do meio ambiente e controlar as mudanças climáticas.

Por que o Brasil deve  se importar com uma agenda aprovada na  ONU?

Apesar de ter sido aprovada somente em 2015, na 70ª Assembleia Geral das Nações Unidas, as negociações dessa nova agenda universal foram convocadas em 2012, durante a cúpula Rio+20, realizada no Brasil. Foram quase três anos de intenso debate com os/as maiores peritos do mundo discutindo soluções para os grandes problemas enfrentados pela humanidade. O Brasil teve uma liderança reconhecida internacionalmente na construção da Resolução A/70/2015, inclusive com forte participação e contribuição da sociedade civil do país. Portanto, ela é uma agenda nossa e não é por acaso que ela está completamente alinhada aos princípios da Constituição Federal de 1988. A implementação dos princípios da Agenda 2030 e da Constituição Federal deve ser um compromisso de Estado, acima de governos, partidos e ideologias.

A Agenda 2030 é globalista/esquerdista e vai acabar com a propriedade privada?

Não. Existe uma notícia falsa que circula há alguns anos dizendo que a Agenda 2030 faz parte de um movimento chamado Nova Ordem Mundial (NOM), que é globalista/esquerdista e que vai acabar com a propriedade privada, mas isso tudo é mentira e já foi desmentido inúmeras vezes. Veja o que diz o site Boatos.org: https://www.boatos.org/mundo/nom-agenda-globalista-2030-acaba-propriedade-privada.htm. Saiba mais sobre essa teoria conspiratória: https://pt.wikipedia.org/wiki/Nova_Ordem_Mundial_(teoria_conspirat%C3%B3ria).

A Agenda 2030 prevê um governo único, moeda única, microchips e o fim da propriedade privada?

Não. Esta é apenas mais uma parte desse boato que diz que a Agenda 2030 integra um movimento chamado Nova Ordem Mundial (NOM). Se você ler a Agenda 2030 aqui, verá que nada disso consta no documento, é pura invenção. E a melhor forma de desfazer um boato é se informar diretamente na fonte.

Alem disso, os sites Mith Detector (dos Estados Unidos), AAP (Nova Zelândia) e do jornal norte-americano Usa Today apontam que não existe qualquer documento com esse nome. Veja o que diz o site Boatos.org: https://www.boatos.org/mundo/onu-criou-documento-chamado-nova-ordem-mundial.html. O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) também já alertou sobre este boato: https://www.facebook.com/cnj.oficial/posts/2901287939943947/.

A Agenda 2030 determina um só governo mundial, moeda e banco únicos e destruição das famílias?

Não. Isso é mentira. É apenas mais uma versão dos boatos descritos anteriormente e que circula nas redes sociais com um cartaz escrito em inglês com o logotipo da ONU. O cartaz e as informações são absolutamente falsos e deturpam dois documentos importantes da Organização das Nações Unidas: a Agenda 21 e a Agenda 2030. Por isso, é importante você ler a Agenda. E ver o que diz a página Fato ou Fake do portal G1: https://g1.globo.com/fato-ou-fake/noticia/2020/07/02/e-fake-carta-com-logo-da-onu-que-preve-um-so-governo-mundial-e-destruicao-das-familias.ghtml.

A Agenda 2030 da ONU contém nefasta ideologia de gênero e o aborto?

Não. Esta foi a desculpa usada pelo presidente Jair Bolsonaro para vetar a persecução das metas de desenvolvimento sustentável na lei que instituiu o Plano Plurianual (PPA) 2020-2023. O Objetivo 5 da Agenda 2030 prevê alcançar a igualdade de gênero e empoderar todas as mulheres e meninas, uma forma de tentar reduzir o machismo estrutural que gera inúmeros problemas que afetam as mulheres e meninas em todo o mundo, tais como altos índices de violência, assédio, estupro, diferenças salariais etc. Igualdade de gênero nada mais é do que igualdade de direitos. Vale a pena ler a Agenda 2030 na íntegra aqui.

A Agenda 2030 é uma agenda estatista, que dá poder aos governos contra as pessoas?

Não. Muito pelo contrário. A Agenda 2030 é uma agenda de defesa de direitos que inclusive estão garantidos na Constituição Federal do Brasil de 1988, como o acesso à saúde (ODS 3), educação (ODS 4), moradia (ODS 11), transporte (ODS 11), saneamento (ODS 6); a erradicação da pobreza (ODS 1); a redução das desigualdades sociais e regionais (ODS 10); a promoção do bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação (ODS 10); a preservação do meio ambiente (ODS 6, 12, 13, 14, 15); a garantia do Estado de Direito e da participação social (ODS 16); entre outros.

O que é a campanha Mudar o Jogo – Agenda 2030 para vencer a Covid?

É uma campanha de mídia e advocacy lançada pelo Grupo de Trabalho da Sociedade Civil para a Agenda 2030 (GT Agenda 2030), com várias organizações parceiras, que enfatiza a necessidade de adoção dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) pelos municípios brasileiros como forma de enfrentar a pandemia da Covid-19 e seus efeitos. No Brasil, a implementação da Agenda 2030 é cada vez mais relevante num contexto político e econômico altamente desafiador e agudizado, gravemente, pela pandemia da Covid-19. As recomendações, metas e indicadores nela contidos constituem um caminho para enfrentar as diversas crises com base em políticas comprovadamente efetivas, com foco na ciência e em decisões justas, que promovam a construção de mais igualdades e justiça social, de forma a mitigar a crise sanitária que enfrentamos.

O que é o GT Agenda 2030?

O GT Agenda 2030 é uma coalizão que reúne mais de 50 organizações não governamentais, movimentos sociais, fóruns, redes, fundações e federações brasileiras. Foi formalizado em setembro de 2014 e desde então atua na difusão, promoção e monitoramento da implementação dos ODS. O grupo incide sobre o Estado brasileiro e as organizações multilaterais, promovendo o desenvolvimento sustentável, o combate às desigualdades e às injustiças e o fortalecimento de direitos universais, indivisíveis e interdependentes, com base no pleno envolvimento da sociedade civil em todos os espaços de tomada de decisão. Saiba mais: http://www.gtagenda2030.org.br.