Relatório Luz 2019

Baixe a edição 2019 do Relatório Luz nas versões em português e em inglês:

.

Relatório Luz da Agenda 2030 – 2019 (Português)

.

Spotlight Report on the 2030 – 2019 (English)

.

Apoiadores Relatório Luz 2019:

  • Associação Brasileira de ONGs – ABONG
  • Centro Brasil de Saúde Global
  • Cineclube Socioambiental “EM PROL DA VIDA”
  • Datapedia
  • Fórum das ONG Aids do Estado de São Paulo – FOAESP
  • Observatório Metropolitano ODS – METRODS
  • Mirim Brasil (Movimento Infantojuvenil de Reivindicação)
  • Movimento Nacional de Cidadãs Posithivas – MNCP
  • Preto Império
  • Rede Brasileira de População e Desenvolvimento – REBRAPD
  • Rede Evangélica Nacional de Ação Social – RENAS

Sua organização também deseja apoiar o Relatório Luz 2019?
Clique aqui.

.

Relatório Luz da Sociedade Civil mostra Brasil distante do desenvolvimento sustentável

Análise realizada por especialistas em cada um dos Objetivos da Agenda 2030 revela acirramento das violações e o desrespeito aos direitos sociais, ambientais e econômicos

O Grupo de Trabalho da Sociedade Civil para a Agenda 2030, o GT Agenda 2030, lançou no dia 22/08, em Brasília, a terceira edição do seu Relatório Luz. A exemplo do que aconteceu em 2017 e 2018, a publicação analisa a implementação dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) no Brasil a partir de dados oficiais. O lançamento aconteceu no Auditório do Instituto de Relações Internacionais (Irel) da Universidade de Brasília (UnB) e contou com representantes da Abong, ACT Promoção da Saúde, ARTIGO 19, Casa Fluminense, Engajamundo, Gestos, Instituto Democracia e Sustentabilidade (IDS), Instituto de Estudos Socioeconômicos (Inesc), Plan International e UnB.

Desta vez, a análise ganha ainda mais importância, visto que o Brasil foi um dos 47 entes nacionais que haviam se comprometido a mostrar suas políticas nos setores social e ambiental durante o Fórum Político de Alto Nível (High-level Political Forum – HLPF 2019), ocorrido em julho em Nova York, mas o governo federal desistiu de apresentar sua Revisão Nacional Voluntária. Como o HLPF é a mais alta instância das Nações Unidas para o monitoramento da Agenda 2030, o Relatório Luz 2019 se torna a principal fonte de avaliação sobre os avanços e desafios do país frente à agenda global de sustentabilidade no último ano.

Pobreza, fome, infraestrutura precária e desemprego

Esta edição evidencia o acirramento das violações e o desrespeito aos direitos sociais, ambientais e econômicos em curso no Brasil. Após a análise das 125 metas que compõem a Agenda 2030, experts e parceiros do GT mostram, neste III Relatório Luz da Sociedade Civil da Agenda 2030 de Desenvolvimento Sustentável,que o desafio que temos não é pequeno. E ele tem se agravado, pois o governo federal tem ampliado os conflitos existentes dificultando, principalmente, a vida das mulheres negras, das quilombolas e das indígenas, sem apresentar soluções para pacificar o país; diminui a transparência e os espaços de diálogo; favorece forte tendência de que a judicialização se firme como estratégia para a garantia de direitos e, no geral, tem mantido ou criado novas políticas contrárias ao desenvolvimento sustentável.

O estudo ainda chama a atenção para os retrocessos como o desmonte do Ministério do Meio Ambiente; a proposta de reforma da Previdência; a tentativa de usurpar os direitos dos povos originários e tradicionais; o pacote anticrime que agrava injustiças sociais e raciais; a liberação recorde de novos agrotóxicos; os cortes na educação e traz um estudo prático, que demonstra nosso distanciamento cada vez maior do plano de ação mundial que, compõe os ODS e, visa ao estabelecimento de um planeta melhor, mais igual e mais justo. O caso analisado é o do desastre de Brumadinho, ocorrido em janeiro deste ano – acrescido do semelhante, registrado em Mariana – em 2015, ambos no Estado de Minas Gerais.

Leia texto completo: https://gtagenda2030.org.br/2019/08/22/relatorio-luz-da-sociedade-civil-mostra-brasil-distante-do-desenvolvimento-sustentavel/