Idec disponibiliza gratuitamente materiais de curso que promove a independência e o empoderamento econômico feminino

Formação, contemplada no I Edital de Seleção Interna de Projetos do GT Agenda 2030, já beneficiou diretamente mais de 150 mulheres negras, indígenas, LBTI e em situação de vulnerabilidade social

O Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), uma das 55 organizações que fazem parte do Grupo de Trabalho da Sociedade Civil para a Agenda 2030 (GT Agenda 2030), está disponibilizando, gratuitamente, dez videoaulas, apostila e outros materiais de um curso de educação financeira para mulheres. A ação foi um dos projetos contemplados no I Edital de Seleção Interna de Projetos do GT Agenda 2030, que conta com recursos da União Europeia, e já beneficiou diretamente mais de 150 mulheres negras, indígenas, LBTI e em situação de vulnerabilidade social de todas as regiões do Brasil.

Por causa da pandemia, a formação precisou ser 100% on-line, com aulas realizadas durante três sábados no mês de janeiro de 2021. De acordo com o Idec, dinâmicas e esclarecimentos de dúvidas foram feitos via WhatsApp ao longo das três semanas do curso. Todo o conteúdo da formação, elaborado em parceria com a educadora financeira e CEO da Barkus Educacional, Bia Santos, é exclusivo e está disponível no endereço https://idec.org.br/educacao-financeira.

A ideia é que mais e mais mulheres tenham acesso e compartilhem todo esse conhecimento, para que possam se empoderar economicamente e aumentar sua independência financeira, contribuindo para o alcance do Objetivo de Desenvolvimento Sustentável (ODS) nº 5 – Igualdade de Gênero. O Idec lembra que, segundo o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), 45% dos domicílios têm mulheres como pessoas de referência e que o país conta com cerca de 60 milhões de pessoas em situação de endividamento – sendo que a metade, 30 milhões de pessoas, estão superendividadas.

A situação é ainda mais grave nos grupos sociais mais vulneráveis e piorou devido à pandemia da Covid-19. “A pandemia e a crise econômica têm impactado a vida de muitos brasileiros, e as mulheres em especial são atingidas de muitas formas. Além da sobrecarga de trabalho e dos índices de violência doméstica, elas também lideram a fila dos desempregados. Em setembro de 2020, a taxa de desemprego chegou a 16,9% entre as mulheres brasileiras, maior que a dos homens (11,8%)”, diz o Idec.

Acesse aqui os materiais do curso.

Com informações do Idec.

Últimos posts do blog

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s