Lançada campanha Mudar o Jogo: Agenda 2030 para vencer a Covid-19 – veja como engajar-se

Ação do GT Agenda 2030 com parceiros mostra como os ODS podem ajudar governos locais nas respostas à pandemia

O Grupo de Trabalho da Sociedade Civil para a Agenda 2030 (GT Agenda 2030) lançou nacionalmente, na última sexta-feira (23/04), a campanha Mudar o Jogo: Agenda 2030 para vencer a Covid-19. A ação tem a Frente Parlamentar Mista de Apoio aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) e a Rede ODS Brasil como parceiros e financiamento da União Europeia. A apresentação foi feita pela coordenadora da Rede ODS Brasil, Patrícia Menezes.

“Estamos em um contexto extremamente desafiador, porque estamos sem seguridade social, sem assistência médica, com colapso na saúde, com o SUS desfinanciado e vivendo uma absoluta insegurança, não só jurídica, com grande incerteza em relação às instituições democráticas do país, mas também um grave contexto de insegurança alimentar”, destacou Alessandra Nilo, coordenadora geral da ONG Gestos e cofacilitadora do GT Agenda 2030, apresentando na sequência as peças da campanha.

O embaixador da União Europeia no Brasil, Ignacio Ybáñez, disse que é preciso unir forças para promover os ODS como um caminho para o desenvolvimento inclusivo, solidário e sustentável, capaz de enfrentar a pandemia da Covid-19 e responder às suas consequências. “A União Europeia e o Brasil assumiram o compromisso de não deixar ninguém para trás até 2030. Avanços reais exigem um envolvimento profundo de diversos setores da sociedade, razão pela qual o envolvimento e a união de três atores chave- sociedade civil, setor privado e governos locais são fundamentais para este processo”, frisou.

O prefeito do Recife e vice-presidente para Mudanças Climáticas da Frente Nacional dos Prefeitos (FNP), João Campos, citou o Plano Recife 500 Anos como um exemplo prático de como os ODS podem ser incorporados às gestões municipais. “Quando a gente fala dos ODS e da Agenda 2030, a gente tem um conjunto de ações que têm por objetivo enfrentar, sobretudo, a desigualdade, preservar o meio ambiente e construir soluções econômicas que enfrentem esse conjunto de desafios”, defendeu.

O deputado federal Nilto Tatto, coordenador da Frente Parlamentar Mista de Apoio aos ODS, a deputada federal Erika Kokay e o deputado distrital Leandro Grass também prestigiaram o lançamento da campanha do GT Agenda 2030. Tatto salientou que estamos em uma guerra e que esta campanha já é vitoriosa antes mesmo de lançada. “A gente tem nosso presidente da República trabalhando contra, mas temos hoje talvez a grande maioria da população entendendo a necessidade do isolamento e a necessidade de se tomar a vacina”, ilustrou.

Para Erika Kokay, os ODS pressupõem uma democracia e trabalhar a territorialidade é fundamental. “Um território não é apenas um espaço geográfico, é como se trançam as relações, se constroem os valores e o protagonismo, que é fundamental para que possamos mudar o jogo, construir uma nova realidade no nosso país”, disse.  “O papel dos prefeitos e vereadores é fundamental, considerando a dimensão territorial da Agenda 2030”, lembrou Leandro Grass.

Sistema ONU – O evento de lançamento da campanha contou ainda com representantes do Sistema ONU. O diretor-adjunto da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas/OMS), Jarbas Barbosa, alertou que se a transmissão do novo coronavírus não for controlada em todos os países, novas variantes podem surgir e talvez não sejam cobertas pela vacina, daí a importância do acesso equitativo à imunização. “E o impacto da Covid sobre os ODS é muito importante. Perdemos ao redor de 10% a 15%, dependendo do país, de crianças que deixaram de se vacinar e tivemos aumento na mortalidade materna”, exemplificou.

A diretora e representante do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (Unaids) no Brasil, Cláudia Velasquez, afirmou que “a participação da sociedade civil em toda sua diversidade é central, pois a resposta à pandemia deve centrar-se nas pessoas, eliminando as desigualdades e garantindo o desenvolvimento da nação a partir de iniciativas sustentáveis”.

Já para Astrid Bant, representante do Fundo de População das Nações Unidas (Unfpa) no Brasil, “a Agenda 2030 tem o potencial de transformar a sociedade e o mundo na procura de sistemas mais sustentáveis. Após mais de um ano desde o início da pandemia da Covid-19, seus efeitos diretos e indiretos aumentaram significativamente as inequidades vividas por populações de maior vulnerabilidade”.

Até o final de abril, o GT vai publicar em suas mídias sociais diversas peças gráficas que mostram como a Agenda 2030 pode ajudar governos locais, especialmente os municípios, nas respostas à pandemia da Covid-19. Também serão publicados depoimentos em vídeo de pessoas que apoiam a campanha, entre ativistas, cientistas, artistas, políticos/as e outros/as formadores/as de opinião.

Como engajar-se – Você pode gravar um depoimento em vídeo e postar nas suas redes sociais, marcando o @gtagenda2030 e usando a hashtag #Agenda2030ParaVencerACovid. Não esqueça de escalar duas outras pessoas para que entrem no time e também gravem vídeos de apoio. No vídeo, diga que quer mudar o jogo, o que podemos fazer para mudar o jogo ou por que essa campanha é importante.

Você também pode manifestar o seu apoio usando o tema Quero mudar o jogo – Eu apoio a Agenda 2030 na sua foto do perfil no Facebook. Acesse a página do tema, ajuste sua foto e clique em “Usar como foto do perfil” para salvar. Você pode ajudar a formar uma grande corrente do bem na internet!

Acesse também a página da campanha e confira o vídeo, as cartelas e outros materiais que preparamos! Lá você também encontra uma lista de perguntas e respostas que visam informar e desmentir fake news sobre a Agenda 2030.

Confira como foi o evento de lançamento:

Últimos posts do blog

Thiago Gehre Galvão: A brasilianização do mundo?

Artigo de Thiago Gehre Galvão, professor da Universidade de Brasília (UnB), coordenador do programa UnB 2030 e membro do GT Agenda 2030, publicado no jornal Correio Braziliense em 29 de julho de 2021

Antes que seja tarde demais

Artigo de Mônica Andreis e Laura Cury, diretora executiva e assessora de Relações Internacionais da ACT Promoção da Saúde e membras do GT Agenda 2030, publicado originalmente no blog de Fausto Macedo no Estadão, em 16 de julho de 2021

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s