Projeto vai ajudar a preservar e ampliar tradição do uso das ervas amazônicas

Vinte mulheres da região de Careiro (AM) serão selecionadas para participar de formação promovida pelo Instituto 5 Elementos em parceria com a Casa do Rio, com apoio do GT Agenda 2030 e União Europeia

O Instituto 5 Elementos e a ONG Casa do Rio vão selecionar até o próximo dia 10 de março 20 mulheres de comunidades locais do município de Careiro, localizado na Região Metropolitana de Manaus (AM), para participar de um processo de formação que vai promover a troca de conhecimentos sobre ervas e plantas medicinais regionais, resgatando e valorizando o ofício das curandeiras amazônicas. A seleção privilegia mulheres negras, quilombolas e indígenas, distribuídas pelos distritos do município, sendo 33% jovens, 33% mulheres adultas e 33% idosas. As interessadas devem procurar a ONG Casa do Rio.

O processo seletivo faz parte do projeto Agenda 2030 de Saúde e Saberes das Mulheres de Careiro/AM, criado pelo Instituto 5 Elementos e um dos vencedores de um edital lançado pelo Grupo de Trabalho da Sociedade Civil para a Agenda 2030 (GT Agenda 2030) que escolheu propostas de trabalhos que garantissem a promoção da equidade de gênero e dos direitos das mulheres e meninas. O projeto vai receber até 10 mil euros, financiamento garantido pela União Europeia.  

A ideia do projeto surgiu das necessidades das mulheres da região do Careiro, que ficaram evidentes a partir de diversas ações comunitárias realizadas pela ONG Casa do Rio. O município fica ao lado do trecho Norte da rodovia BR-319, que se tornou uma das regiões da Amazônia mais ameaçadas pelo aumento da degradação ambiental, da ocupação desordenada e de graves problemas sociais. A partir dessa constatação, o Instituto 5 Elementos se uniu à ONG para montar um projeto que atendesse às demandas, trazendo o know-how de 28 anos do Instituto na realização de cursos de formação, com foco na transformação e ampliação da consciência socioambiental, em sintonia com os princípios da educação para a sustentabilidade.

“O cerne desse processo é valorizar o cuidar. O cuidar vem do feminino. E cuidar dos saberes é importante também para cuidar do corpo, para cuidar das pessoas, dos filhos, da comunidade. Esta sempre ligado à valorização e o conhecimento da natureza e das ervas de cada bioma brasileiro, no caso aqui, da Amazônia” explicou Mônica Pilz Borba, pedagoga especialista em Educação Ambiental, que ao lado de Marta Schutzer Magalhães,  fisioterapeuta especialista em medicina Ayurvedica e Fitoterapia, forma a equipe de facilitadores do projeto pelo Instituto Cinco Elementos.

Os principais focos são resgatar, atualizar e disseminar o conhecimento sobre o uso das ervas medicinais da Amazônia, dando ênfase aos cuidados referente à saúde da mulher e da família. E ainda empoderar essas mulheres para aprimorar a diversificação da manufatura artesanal de seus produtos para a saúde, bem-estar e beleza, tanto para uso pessoal, como familiar ou junto à comunidade onde atuam, estimulando a comercialização por meio da economia solidária.

Serão nove dias de encontros, realizados nos meses de março, abril e maio. Além de abordar os saberes sobre as ervas da Amazônia, as oficinas vão tratar de temas como os direitos das mulheres, economia solidária e educação sexual. Assuntos que estão em consonância com quatro Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, que fazem parte da Agenda 2030, definida pelo Brasil e outros 192 países, num acordo na ONU, sendo eles: ODS 3 – Saúde e bem-estar; ODS 4 – Educação de qualidade; ODS 5 – Igualdade de gênero e ODS 15 – Vida terrestre.

Nessa formação também serão realizadas dinâmicas, rodas de conversas e apresentação de filmes e documentários, além da montagem de três hortas de ervas medicinais em diferentes comunidades e um laboratório na cozinha da ONG Casa do Rio, para que as participantes continuem se encontrando e produzindo sabonetes, pomadas, unguentos, xaropes, óleos de cura, repelentes, e todos os produtos úteis à realidade da comunidade local.

Os resultados dos encontros serão divulgados em programas da Rádio Floresta, mantida pela Casa do Rio com a participação das alunas e das facilitadoras. Uma publicação impressa também será criada contando a história da formação, revelando a identidade das participantes e também as receitas dos produtos elaborados. Tudo para prestigiar as mulheres e jovens, tornando-as referência local para difusão dos conhecimentos em suas comunidades. A publicação será lançada em julho de 2020.

Foto: Instituto 5 Elementos/Divulgação

Leia também:

2 Comentários

  • Nossa super interessante. Tenho uma horta orgânica aqui em sp ,casa verde e pretendo uma mini horta de plantas medicinais e gostaria de participar desse evento das ervas da Amazônia. Seria possível?

    Curtir

    • michelinebatista

      Que bacana! Veja, o evento é presencial e acontece no Amazonas e também já teve as inscrições encerradas.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s