GT Agenda 2030 busca apoiadores para 10 projetos de impacto socioambiental positivo

Ideias foram selecionadas por meio de chamada pública nacional e serão apresentadas no 1º Seminário de Soluções inovadoras

O Grupo de Trabalho da Sociedade Civil para a Agenda 2030, o GT Agenda 2030, está em busca de apoiadores para projetos de impacto socioambiental positivo. Dez ideias foram selecionadas por meio de chamada pública nacional e serão apresentadas no 1º Seminário de Soluções Inovadoras, que vai acontecer no próximo dia 8 de agosto em São Paulo. A participação é gratuita e os interessados devem se cadastrar previamente através do site https://www.sympla.com.br/i-seminario-solucoes-inovadoras-do-gt-agenda-2030__576532.

O seminário será uma oportunidade para se conhecer projetos que apresentam soluções inovadoras para desafios ambientais, econômicos e sociais do país e que estão alinhadas aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). O propósito é conectar organizações da sociedade civil e negócios sociais a uma rede formada por investidores, fundações privadas, gestores/as públicos e, também, pessoas interessadas em fomentar projetos com alto potencial de melhoria das políticas públicas.

Para tanto, o Seminário contará com uma exposição na qual será possível conhecer todos os detalhes das dez soluções selecionadas. Algumas já estão em funcionamento, outras ainda em fase de desenvolvimento. Cada uma das inovações contribui para o alcance de um ou mais ODS e pode ser replicada em larga escala.

Muitos destes projetos têm como protagonistas ou principais beneficiárias mulheres, principalmente negras, indígenas e quilombolas. Caso do “Costurando vidas – capacitação em costura, bordado e artesanato sustentável para mulheres em vulnerabilidade social”. O programa, criado em Itabira (MG), trabalha para a igualdade de gênero, através da profissionalização de meninas e mulheres que vivem na linha de exclusão.

Outra ideia selecionada é a Arquitetas em Casa”, projeto em desenvolvimento que quer apresentar uma alternativa de construção sustentável, especializar a mão de obra em técnicas de arquitetura bioclimática e ecotecnológicas e garantir o direito à moradia digna e segura, para famílias de baixa renda em Ilha do Maranhão, Região Metropolitana de São Luís (MA).

Com abrangência mais ampla, o “Circuitos de Comercialização Agroecológica – Fortalecimento da Agricultura Familiar Agroecológica” funciona hoje em seis estados da Rede Ecovida (SP, MG, BA, SC, RS e PR) e é um sistema de circulação de produtos agroecológicos que reúne agricultores familiares e consumidores. Contribui para a segurança alimentar, a proteção da sociobiodiversidade, a prática de agricultura sustentável, a autonomia do agricultor familiar e a geração de renda no campo.

Além desses, estarão na exposição o projeto Sistema Rac/Saf”, de reutilização águas cinzas do semiárido pernambucano para irrigar sistemas agroflorestais; o “Redes de Produção Agroecológica Solidária”,programa para capacitar gestores de organizações da agricultura familiar e pesca artesanal do Território do Baixo Tocantins, no Pará; o  “Mãostiqueiras”, que prioriza o reaproveitamento de lã de ovelha em Campos do Jordão (SP) e além de fonte de renda para as mulheres ainda resgata as técnicas manuais de beneficiamento da lã.

E ainda: o “Teia da Sustentabilidade”, ideia para proteger e recuperar o ecossistema de Icapuí (CE) com ações de educação ambiental continuada voltadas para a conservação do meio ambiente e para assegurar a disponibilidade de água de qualidade e sua gestão sustentável para todos; o “Aqualuz”, que criou um dispositivo de baixo custo que utiliza luz solar para tornar potável água de cisternas por um período de 20 anos, suprindo uma família diariamente com o custo de R$ 0,03 por 10 litros de água tratada (BA, CE, AL e PE); o “Plantando Jardins Filtrantes e Água Boa” do bairro Caputera, limite entre os municípios de Cotia, Embu das Artes e Itapecerica da Serra, na grande São Paulo, projeto para instalar o tratamento de esgoto por zona; e o “Centro de Referência Indígena Ikolen e Karo”,projeto em fase de desenvolvimento para construção de um Centro de Referência Indígena que respeite a cultura destes dois povos indígenas de Rondônia.

Promovido pelo GT Agenda 2030, o 1º Seminário de Soluções Inovadoras tem a facilitação do Instituto Democracia e Sustentabilidade (IDS). “São as soluções inovadoras que nos permitem enxergar para além dos problemas e imaginar um novo futuro possível. Não é fácil ver o horizonte quando estamos nos afogando. Alterar o modelo de produção e desenvolvimento vigente para um modelo de desenvolvimento sustentável exige um esforço coletivo e coordenado entre os diferentes setores da nossa sociedade”, afirma Carolina Mattar, coordenadora do IDS.

Segundo Carolina, o Brasil possui múltiplas soluções potentes para desafios extremamente complexos sendo produzidas localmente, que, uma vez apoiadas pelo poder público e por investidores, podem ganhar escala e contribuir enormemente para atingirmos os ODS, cumprirmos a Agenda 2030 e assim alcançarmos uma sociedade, não apenas sustentável, mas também mais justa e menos desigual.

Serviço:
1º Seminário Soluções Inovadoras do GT Agenda 2030
Local: B_arco Centro Cultural – São Paulo, SP
Endereço: R. Dr. Virgílio de Carvalho Pinto, 426 – Pinheiros
Data: 8 de agosto de 2019
Horário: 13h às 18h
Inscrições:https://www.sympla.com.br/i-seminario-solucoes-inovadoras-do-gt-agenda-2030__576532

Leia também:

Essa imagem tem um atributo alt vazio; o nome do arquivo é a-uniacc83o-europeia-apoia-o-grupo-de-trabalho-da-sociedade-civil-para-a-agenda-2030.jpg

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s