Brasileiros desperdiçam em média 41,6 quilos de alimentos per capita por ano

Meta 12.3 da Agenda 2030 é reduzir o desperdício pela metade; Relatório Luz recomenda criação da Política Nacional de Combate ao Desperdício e à Perda de Alimentos

Em um país em que 7,2 milhões de pessoas vivem em situação de insegurança alimentar grave, de acordo com dados da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), cada brasileiro desperdiça em média 41,6 quilos de alimentos por ano. É o que diz o estudo Desperdício de Alimentos, produzido pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) com o apoio da Fundação Getúlio Vargas (FGV), por meio do Intercâmbio Brasil – União Europeia.

A publicação mostra que o desperdício médio de alimentos por família no país é de 128,8 quilos por ano. Os alimentos mais desperdiçados são: arroz (22%), carne bovina (20%), feijão (16%) e frango (15%). O desperdício de hortaliças (4%) e frutas (4%) é menor, na comparação com o volume total.

Não houve correlação entre maior ou menor desperdício e variáveis sociodemográficas, como renda e idade. Por outro lado, a diferença pode ser explicada por fatores comportamentais, tais como valorizar a fartura em diferentes etapas do itinerário de consumo, da compra ao preparo do alimento – 52% dos respondentes consideram importante ter fartura, 77% consideram importante que a comida seja fresca e 68% consideram importante ter a despensa cheia. Mais de metade (53%) dos entrevistados disse que cozinha quantidades acima do necessário.

“O gosto pela fartura à mesa é característico da cultura latina e aumenta a propensão de ocorrer desperdício por que, em uma parcela das famílias, as sobras são consideradas ‘comida dormida’ ou a importância dada a ter sempre comida ‘fresquinha’ contribui para o descarte das obras. Ter uma despensa sempre abastecida é um traço cultural muito presente nas famílias brasileiras, e principalmente no contexto da classe média baixa, essa necessidade está presente em função da compra dos alimentos ser a prioridade do orçamento familiar”, diz o estudo.

Agenda 2030 – Um dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030, o de número 12, tem foco no consumo e na produção responsáveis. A meta 12.3 prevê reduzir pela metade o desperdício de alimentos per capita mundial, em nível de varejo e do consumidor, e reduzir as perdas de alimentos ao longo das cadeias de produção e abastecimento, incluindo as perdas pós-colheita.

Para alcançar essa meta, o Relatório Luz 2018, produzido pelo Grupo de Trabalho da Sociedade Civil para a Agenda 2030, recomenda a instituição, por lei, da Política Nacional de Combate ao Desperdício e à Perda de Alimentos. A norma deve incorporar ordem de prioridade (não geração, redução, reutilização e tratamento) e considerar o desperdício feito pelos consumidores finais, pois grande parte dos resíduos destinados aos aterros ainda é orgânica. O GT, que reúne cerca de 40 entidades de todo o Brasil, é apoiado pela União Europeia.

Foto: Geraldo Magela/Agência Senado



Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s