Novas políticas industriais são fundamentais para pequenas e médias empresas latino-americanas

Medidas estão em sintonia com a Agenda 2030, em especial com o ODS 9: Indústria, Inovação e Infraestrutura A nova geração de políticas industriais que impulsionam os ecossistemas tecnológicos é fundamental para o desenvolvimento das micro, pequenas e médias empresas do Brasil e de outros países da América Latina, afirmaram autoridades, especialistas internacionais e representantes do setor público e privado que participam de seminário realizado dias 10 e 11 de outubro em Buenos Aires, na Argentina. Durante a reunião de alto nível, os participantes trataram dos principais desafios dessas empresas e da construção de estratégias de cooperação que as ajudem a superá-los. O evento foi organizado pela Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL), União Europeia e União Industrial Argentina (UIA). A representante da União Europeia para a cooperação com América Latina e Caribe, Jolita Butkeviciene, afirmou que para poder enfrentar os desafios, micro, pequenas e médias empresas da América Latina precisam de apoio, já que sozinhas não poderão superá-los.

“Na UE, queremos ter uma visão compartilhada com a América Latina. Para nós, não há nada mais importante que o crescimento sustentável com emprego. […] Precisamos compartilhar assessoria técnica e lições aprendidas. Também precisamos de um empurrão, estamos aqui para apoiar, mas para isso é fundamental a criatividade. O campo está aberto nas suas mãos para a cooperação mútua”. Jolita Butkeviciene – União Europeia

Fabio de Almeida, gerente de Desenvolvimento Institucional e Redes do Instituto C&A e ex-coordenador-executivo do Instituto Democracia e Sustentabilidade (IDS), entidade que integra o GT Agenda 2030 como co-facilitadora, destaca que o Brasil tem um dos piores ambientes de negócios do mundo, como mostra o ranking Doing Business, divulgado pelo Banco Mundial. Isso tem grande impacto sobre as pequenas e médias empresas, que já enfrentam uma série de obstáculos em seus estágios iniciais de operação.

“A iniciativa de olhar para como a inovação digital está modificando os modelos de negócios, os processos de produção e os padrões de consumo está totalmente alinhada à Agenda 2030. A tecnologia está contribuindo para gerar maior competitividade dos pequenos e médios negócios, customizados para os públicos e locais que atendem. Esta reorganização das cadeias de produção e do consumo pode ter um grande impacto em diversos dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.” Fábio de Almeida Pinto | IDS

O seminário teve o propósito de apoiar o desenvolvimento de melhores políticas de promoção das micro, pequenas e médias empresas, que representam aproximadamente 99% das empresas, 61% do emprego e 25% da produção na América Latina. Durante o evento foi apresentada a publicação Micro, pequenas e médias empresas na América Latina — um desempenho frágil e novos desafios para as políticas de desenvolvimento, elaborada pela CEPAL com o apoio da União Europeia, que analisa o desempenho dessas empresas na região e as políticas e instituições que as apoiam. O documento aponta que o esforço feito pelas entidades de desenvolvimento permitiu ampliar o marco regulatório e diversificar as medidas de apoio. No entanto, esses avanços não são suficientes para enfrentar os desafios que caracterizam o atual cenário competitivo, por isso, é necessário propor uma profunda mudança na abordagem e nas modalidades de trabalho das entidades de apoio. Com informações da ONU Brasil Foto: Pexels  

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s